Mudanças no impacto

Um Decreto publicado na quinta-feira (2/12), no Diário Oficial da União, estabelece o Macrozoneamento Ecológico-Econômico da Amazônia Legal (MacroZEE). Segundo o decreto, o MacroZEE da Amazônia Legal será articulado com os processos e instrumentos de planejamento estaduais, sensoriamento remoto em especial com os Zoneamentos Ecológicos Econômicos (ZEEs). O MacroZEE da Amazônia Legal estabelece dez unidades territoriais denominadas segundo estratégias principais de produção e de gestão ambiental.

O texto foi proposto pela Comissão Coordenadora do Zoneamento Ecológico e Econômico do Território Nacional (CCZEE), apoiada pelo Consórcio ZEE Brasil e composta por 14 ministérios. Entre janeiro e março, o MacroZEE estará em consulta pública.Ele também ressaltou a vulnerabilidade da região aos impactos da mudança do clima, segundo informação geográficas como furacões, secas e subida do nível do mar. Por isso, Stern acredita que todos os países latino-americano devem ser beneficiados com as verbas deste fundo verde bilionário.

Entre as principais tarefas futuras na região, segundo o inglês, está o fim do desmatamento na Amazônia. “Não há forma de combater mudanças climáticas sem acabar com o desmatamento saptado por imagens de satelite. Mas qualquer que seja a nossa forma de acabar com ela, tem que ser em parceria com o resto do mundo, liderada pelos países onde as florestas estão.” Para Stern, o trabalho precisa ser feito de forma a eliminar também a pobreza e fomentar o desenvolvimento. “Temos que combater pobreza e mudança climática – se falharmos em um, falhamos no outro”, afirmou.

O ingresso do Brasil na construção e operação da Estação Espacial Internacional (ISS) de forma compatível com prioridades e possibilidades do país, expressa o reconhecimento internacional do potencial tecnológico brasileiro na informação geoespacial. Para confirmar a participação neste projeto, a Agência Espacial Brasileira assumiu, em outubro de 1997, o compromisso de destinar cerca de 120 milhões de dólares à construção, pela indústria nacional, de ítens para a ISS.

 

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s