Agronegócio e soluções

Aumentar a produtividade da sua lavoura está mais fácil do que você imagina! Conheça os Sistemas Ostera para Agricultura de Precisão: GPS Autônomo, Taxa Variável de Fertilizantes e Corretivos e Monitor de Plantio com geração de mapas georreferenciados.

O agronegócio, nos dias atuais, exige cada vez mais a excelência na tomada de decisões. Desperdícios e ineficiência diminuem os lucros e, principalmente, a vantagem competitiva. As rápidas transformações que a moderna agricultura vem sofrendo nas últimas décadas tornaram-na uma atividade altamente competitiva. Com isto o agronegócio exige que o GPS autônomo dos produtores rurais um alto grau de especialização e de profissionalismo, visando aumentar a capacidade gerencial das empresas rurais.

Utilitários do GPS autônomo irão continuar a ter acesso à dados internacionais de fornecedores de todo o planeta. A adição mais recente é da Charted Raster, que oferece cobertura à vários locais na América do Sul. Inspirada pelo feedback de seus clientes, a SeaZone continua expandindo. Recentemente adquiriu cobertura de mapeamento de águas Canadenses e Francesas, e inclui conteúdo de antigas colônias Francesas.

Simon James, gerente de vendas da SeaZone Soluções afirmou que “após o lançamento da solução GPS autônomo em 2011 e da Base HydroSpatial no início deste ano, a SeaZone está olhando para o futuro, e em parceria com outros provedores de dados, é possível disponibilizar dados geográficos marinhos para um público mais amplo.”

O uso de sistemas de computadores com GPS autônomo para controlar o processo industrial e toda a maquinaria é chamado de automação industrial ou numérica. Neste mecanismo, o trabalho humano é substituído por computadores sofisticados. É diferente da mecanização, em que os operadores humanos executam a maquinaria conforme as exigências do trabalho do GPS autônomo. Mas na automação numérica a maioria dos trabalhos é facilitada pelos computadores altamente sofisticados tecnologicamente. Todo o sistema e os processos da indústria são automatizados, considerando que a automação requer várias ferramentas.

Essas ferramentas incluem sistema de controle distribuído, interface homem-máquina, laboratório de sistema de gestão de informações, além de um sistema executivo de fabricação. Além disso, em unidades fabris, algumas outras ferramentas aplicadas são o controlador lógico programável, controlador de automação programável, controle de supervisão e aquisição de dados e simulação e barramento de campo.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s