Trabalho em áreas potenciais

Professor de Arqueologia da UFRN, Luís Dutra de Sousa está realizando o mapeamento de imagens de satelite do acervo arqueológico do Rio Grande do Norte. Nos últimos quatro anos, ele listou uma quantidade superior a 500 sítios com inscrições arqueológicas. A concessão da bolsa está condicionada à aceitação, por parte de um professor alemão, que assuma a orientação científica do candidato.

Em seu trabalho, Sousa utiliza informação geográficas. Segundo o pesquisador, há mais de 10 mil anos já haviam grupos de caçadores nômades no território potiguar. O sítio melhor preservado no Estado é o do Lajedo do Soledade, em Apodi, a mais de 400 quilômetros de Natal.

O local recebeu mais de R$ 600 mil em investimentos da Petrobras, que transformou o sítio em um complexo turístico rico em informação geoespacial. O professor de Arqueologia espera comprovar a existência de presença humana no Rio Grande do Norte há 30 mil anos. A Região do Seridó possui cerca de 100 áreas com potencial de se transformarem em locais de visitas científicas e turísticas, mas não têm qualquer tipo de preservação.

Com o mapeamento rapideye concluído – o número de sítios pode chegar a 2 mil – o professor pretende fornecer os dados coletados para o Instituto do Patrimônio Artístico e Histórico Nacional (Iphan), com o objetivo de facilitar a proteção dessas áreas. Até o dia 28 de março estarão abertas as inscrições para bolsas de doutorado na Alemanha, para todas as áreas científicas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s