VRS (Virtual Referece Station)

Utilizando o software VRS3Net várias melhorias são acrescentadas ao posicionamento em tempo real. A sigla VRS vem de Virtual Reference Station – Estação de Referência Virtual em português. Essa tecnologia cria para cada receptor rover em campo, uma estação de referência virtual (daí o nome) ao lado do operador.

Isso é possível através de modelos matemáticos obtidos através de informações trocadas em tempo real, entre uma rede de estações de referência.

São vários os benefícios obtidos: Utilizando uma rede de estações de referência, ao invés de estações isoladas, é possível criar um modelo ionosférico local com maior precisão. Como sabemos os sinais GNSS ao atravessarem a camada Ionosfera, eletricamente carregada, sofrem atrasos que são os maiores responsáveis pelos erros dos sistemas GNSS.
Modelando esse comportamento é possível então, gerar correções específicas para cada posição, dentro da área de abrangência dessa rede. Com uma estação de referência virtual ao lado de cada operador no campo, elimina-se o erro de PPM (parte por milhão), encontrado nos trabalhos com RTK. O erro padrão é de 01 PPM, ou em outras palavras, 01 mm para cada quilometro distante da base. Esse erro impedia o uso dos equipamentos moveis a distâncias maiores, por conta do erro acumulado.

As informações enviadas pela rede de estações, para um servidor, permitem criar um robusto sistema onde até mesmo a falha de uma dessas estações, pode ser contingenciada pelas demais, não interrompendo o envio das correções para os equipamentos em campo. Evidente que isso só é possível se houver um número significativo de estações de referência, dispostas de forma harmoniosa na área do projeto.

Esses dados, processados no servidor, são enviados aos receptores em campo utilizando a Internet via serviços de telefonia celular. Dessa forma, as equipes de campo poderão dispor de duas fontes alternativas para recebimento das correções, gerando não apenas redundância para permitir uma contínua operação, mas também expandindo a área de abrangência, visto que o alcance dos rádios é bastante limitado.

O VRS3Net em sua verão padrão é capaz de gerar correções VRS para até 50 estações móveis simultaneamente. É possível realizar upgrade para aumentar a capacidade de estações rover.

Software em Ambiente Windows para gerenciamento de dados de uma rede de estações de referência e gerações de correções VRS. Além de realizar o gerenciamento dos dados, o VRS3Net é capaz de gerar modelos atmosféricos com informações mais precisas dos erros para área de abrangência de uma rede de estações de referência.

Uma VRS (Virtual Referece Station) é composta por dados gerados para uma posição virtual, a partir de uma rede de estações de referência, passível de ser utilizado por um receptor móvel como se fossem dados de uma base real.
Esse arquivo virtual carrega as informações de erros atmosféricos da rede fazendo com que os erros de PPM do posicionamento sejam reduzidos. Logo, o alcance no RTK é aumentado sem perca de qualidade no posicionamento.
Pode-se assumir que o rover sempre terá uma estação base virtual a poucos metros de distância.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s