Defesa Agropecuária

A Agência de Defesa Agropecuária de Roraima está montando barreiras sanitárias para evitar que a mosca da carambola, um inseto que ataca as plantações de frutas, se espalhe pela região Norte. A praga impede a venda da produção para outros estados em GPS agrícola. Há mais de dois anos, os produtores do estado estão impedidos de exportar mais de 15 espécies de frutas consideradas hospedeiras da praga.

Os focos da mosca da carambola, que tem o nome científico de bactrocera carambolae, foram registrados nos municípios de Normandia e Uiramutã, na região norte de Roraima. Em um dos maiores produtores de manga do estado, com 15 mil pés da fruta em 75 hectares, 30% das mangas produzidas são aproveitadas localmente de GPS agrícola. O restante é descartado. Mesmo sem nenhuma incidência da praga na área o produtor está proibido de exportar a fruta.

“Nós temos cerca de 500 toneladas de manga para ser colhida. Essas mangas poderiam está gerando 80 empregos na colheita e mais de R$ 1 milhão na venda disso. Existem outros produtores de GPS agrícola  que poderiam está plantando, outros que poderiam está colhendo, tornando isso uma economia para o nosso estado”, diz o agricultor Airton Cascavel.

O prejuízo para a fruticultura no estado não foi maior porque o governo comprou algumas produções por meio do Programa de Aquisição de Alimentos. Para evitar que a praga se espalhe, A Agência de Defesa Agropecuária está montando barreiras fitossanitárias de GPS agrícola. Quatro já foram instaladas. Falta apenas uma na reserva indígena Raposa Serra do Sol, na região do Surumu, que depende de autorização do Conselho Indígena.

Especialista em Geoprocessamento e Projetos

A AgroTools Gestão e Monitoramento GeoEspacial de Riscos anuncia a abertura de vagas na área de geoprocessamento, para atuação junto ao Núcleo Tecnológico da empresa, localizado em São José dos Campos (SP). Para este cargo é necessário ter ensino superior completo em Agronomia, Geografia, Cartografia ou Agrimensura de estação de referência; conhecimentos dos softwares ArcGIS (essencial), Global Mapper, Google Earth, gerenciamento de banco de dados (SGBD), Spring OU Envi; pacote Office e domínio em Excel.

Necessário ter experiência com ArcGIS, gerenciamento de dados, sensoriamento remoto e geoprocessamento. O profissional será responsável por: gerir e análise de projetos, utilizando técnicas de geoprocessamento, sensoriamento remoto e conhecimentos de agronegócios; garantir que todos os produtos sejam entregues no prazo previsto, estação de referência dentro do processo metodológico e com alto nível de precisão das informações; atender clientes para esclarecimento de dúvidas e atendimento de demandas;

Gerenciar e monitorar dados especializados /coordenadas geográficas geradas pela área técnica de produção, garantindo a realização da análise da imagem, bem como análise de especial; implantar melhorias no processo; produzir manuais e métodos utilizados para otimização de tempo/ganho de qualidade/descrição de processos e operação, estação de referência bem como atualizá-los. Os resquisitos desta vaga são: superior completo em Geografia, Engenharia Cartográfica ou Agronomia;

Vivência nas áreas geoprocessamento e sensoriamento remoto; conhecimentos de análise ambiental; habilidades em estatística. São necessários ainda conhecimentos em pacote Office avançado, principalmente Excel; GPS; e nos softwares ArcGIS (essencial), Envi, Erdas e Global Maper de estação de referência. Nesta posição o profissional será responsável por pesquisar e criar metodologias com base em conhecimentos científicos publicados para aplicação nos projetos; orientar equipe técnica para utilização de metodologias/técnicas; verificar e padronizar dados públicos;

produção

Foi possível, ainda, observar a alta porcentagem de alho de melhor qualidade, com bulbos maiores. Se antes os produtores recebiam R$ 0,93/kg, remuneração muito abaixo da média da Bahia e do Brasil, atualmente, eles tem motivos para comemorar. Com alhos maiores e melhores de estação de referência, o valor pago aos produtores de Cristópolis aumentou para R$ 4,50/kg, ou seja, é 380% maior que dez anos atrás.

Com essa quantia, eles ultrapassaram o valor médio pago no estado e no País e a receita do município com o alho saltou de R$ 700 mil para R$ 9 milhões por ano. Com gestão familiar, cerca de 200 propriedades cultivam alho em Cristópolis e a produção costuma ser escoada para as regiões Norte e Nordeste de estação de referência. “Há também indústrias processadoras de São Paulo que vão até lá para comprar alho, já que ele sai mais barato que o alho importado e possui mais qualidade e sabor”, relata o pesquisador, homenageado durante o seminário.

A Secretaria Municipal de Agricultura e o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Cristópolis entregaram-lhe uma placa de reconhecimento pelo trabalho de estação de referência que ocasionou tamanho impacto socioeconômico. “Toda a equipe dedicou muito tempo e esforço para que a tecnologia fosse bem-sucedida em Cristópolis, primeira cidade a receber o alho-semente livre de vírus.

Por isso, observar que o trabalho realmente modificou a vida das pessoas é muito gratificante. Eu diria que é mais gostoso receber essa placa do que ter um artigo publicado na Nature”, declara o pesquisador que acredita que o papel da Embrapa é justamente desenvolver tecnologias da estação de referência para a melhoria da agricultura brasileira.

ministro da Integração Nacional

A presidente Dilma Rousseff deve anunciar novas medidas para o socorro às cidades nordestinas atingidas pela seca na próxima semana, disse a ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, nesta quarta-feira (20/3). Entre as medidas que deverão ser anunciadas em viagem de Dilma ao Nordeste, estão a liberação de tecnologia agrícola de mais recursos e o repasse direto do governo federal para as prefeituras.

“Provavelmente, na chegada da presidente Dilma [da Itália], algumas medidas devem ser anunciadas. Poderão ser nas duas pontas: tanto de gestão, como de mais recursos. Isso tudo está subordinado às conversas que teremos ao longo do dia de hoje [quarta-feira] e à chegada da presidente”, disse a ministra. “É uma situação que temos que compensar na estação de referência  uma situação crítica de falta de água, para que os municípios tenham condição de enfrentar esse desastre natural”, reforçou Ideli.

De acordo com Ideli, parlamentares dos Estados do Nordeste estarão reunidos nesta quarta-feira com aministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, e com ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, para relatar as dificuldades que os prefeitos estão tendo para obter os recursos repassados pelo governo federal para o enfrentamento da seca de estação de referência.

“O ministro da Integração Nacional está dizendo que uma das questões que eles [os prefeitos] mais estão reclamando é que os recursos, que foram repassados para os governos estaduais, estão tendo execução muito lenta, dificuldade para a perfuração dos poços e para a contratação dos caminhões-pipa”, relatou Ideli. Segundo a ministra, uma das alternativas da tecnologia agrícola que podem ser adotadas pelo governo seria o repasse direto da União para as prefeituras por meio do cartão da Defesa Civil.

receptores de GPS Sistema

O software GPS é modular e escalonável com novas e avançadas soluções para rede RTK de alta precisão e longo alcance , distribuição de dados centralizado, gerenciamento de acesso de dados da estação de referência e também suporta a cobrança de dados e serviços. Se torne um provedor de serviços profissional usando as melhores soluções para as suas necessidades graças ao software GPS.

Para todos os receptores
Os receptores de GPS Sistema 1200 e o Sistema 500 são os parceiros ideais para o GPS que integram perfeitamente com o programa. Outros receptores também são suportados.Construído como você precisa com o software GPS Spider você investe somente o necessário para as suas necessidades atuais. Se suas necessidades mudarem e se for necessário um novo serviço de estação de referência de agricultura de precisão, é fácil adicionar funcionalidades extras ou aumentar sua rede quando mais áreas tiverem de ser cobertas. Você pode melhorar facilmente e a qualquer velocidade.
GPS – Seguindo os novos padrões
Usando uma rede de estação de referência permanente sobre uma região com agricultura de precisão ou um estado inteiro não é necessário pontos de controle locais na área de trabalho e nem instalar estações temporárias em campo. Usando o GPS para análise da rede em tempo real e modelagem dos erros é possível obter resultados de alta precisão consistentes e ainda um melhor desempenho em levantamentos RTK em toda a região da rede, mesmo com distâncias mais longas entre as estação de referência.
As correções da rede podem ser fornecidas baseadas nas mensagens no padrão RTCM V3.0 Master Auxiliary Network (que ainda estão por vir) , que já estão totalmente integradas nas tecnologias Leica MAX e i-MAX. Junto com o processamento contínuo de rede do GPS SpiderNET e as correções Leica MAX Master Auxiliary, você alcançará um desempenho maior em levantamentos RTK e mais confiança quando estiver cobrindo áreas grandes com um número mínimo de estação de referência – esta é a situação ideal ! Usando a Leica SmartStation, a sua estação total pode se beneficiar do que há de mais moderno na tecnologia RTK em rede.

Sustentabilidade nos Agronegócios

A Universidade do Café Brasil – UCB promoverá, em São Paulo-SP na sexta-feira(15) , a segunda edição dos Diálogos Universidade do Café Brasil discutindo o tema “Café, da produção ao consumo”. O evento contará com a participação do gerente geral da Embrapa Café, Gabriel Bartholo, do diretor geral do Conselho dos Exportadores de Café do Brasil – Cecafé, Guilherme Braga; GPS de precisão do dirigente da Illycaffè Andrea Illy e dos professores da Universidade de São Paulo – USP Decio Zylbersztajn (Economia) e Samuel Giordano (Sustentabilidade nos Agronegócios e Responsabilidade Socioambiental).
A primeira edição ocorreu em 2012. O evento busca melhorar a comunicação entre pesquisa e ensino, indústria, setor produtivo e comunidade cafeeira, contribuindo também para a geração e difusão de conhecimento. A realização é da Universidade do Café Brasil, do Centro de Conhecimento em Agronegócios – PENSA, da Fundação Instituto de Administração – FIA, lllycaffè e Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo – USP de GPS agrícola.
Está presente em diversos países como Índia, Coreia do Sul, China, Egito, Holanda, França e Alemanha, reunindo mais de 8 mil participantes. No Brasil, surgiu em 2000, resultado de um intenso relacionamento do GPS agrícola com o sistema agroindustrial do café e com a Illycaffè. A Universidade promove, além de eventos, cursos itinerantes de pós-graduação na área de gestão do agronegócio reconhecidos pelo Ministério da Educação – Mec.
Cristiane Leles Rezende de Vita, professora da Universidade, explica que os cursos realizados sempre em parceria com cooperativas já conta com 149 alunos diplomados, tendo sido realizados nas cidades de Guaxupé (MG), Franca (SP), Patrocínio (MG), Machado (MG) e São Sebastião (SP). Com essa elevação o percentual retorna ao que vigorava até setembro de 2011 e que teve de ser diminuído por conta da queda na produção do biocombustível no país de GPS de precisão.

culturas de renovação

A utilização de culturas oleaginosas, sorgo-sacarino e adubação verde é uma alternativa para áreas de renovação de canaviais. Em Mato Grosso do Sul, o tema será debatido no Dia de Campo “Renovação do Canavial: Desafios e Oportunidades”. O público-alvo são técnicos da Assistência Técnica e de Extensão Rural (ATER), técnicos de usinas, fornecedores de cana-de-açúcar e produtores de grãos de GPS agrícola.

O Dia de Campo será na terça-feira (19) , das 12h45 às 17 horas, e iniciará no auditório da Embrapa Agropecuária Oeste (Dourados, MS) com a palestra do pesquisador Everton Luis Finoto, da Agência Paulista de Tecnologia Agrícola (APTA), que compartilhará a experiência das pesquisas de GPS autônomo, no Estado de São Paulo, em produção de grãos em áreas de renovação de canavial.

Após a palestra, os participantes visitarão os experimentos, divididos em três estações, localizados na Fazenda Caçula (BR 463, sentido Dourados-Ponta Porã). No local, os participantes poderão conhecer resultados preliminares das pesquisas da Embrapa Agropecuária Oeste, tanto em sistema de preparo convencional quanto em Sistema Plantio Direto (SPD), com cultivares de soja, com o pesquisador Rodrigo Arroyo Garcia de GPS agrícola; com cultivares de girassol, sorgo-sacarino e cana-de-açúcar colhida após as culturas de renovação, com o pesquisador Cesar José da Silva; e resultados preliminares com três espécies de crotalárias, com o pesquisador Germani Concenço.

O evento é uma realização da Embrapa Agropecuária Oeste, Unidade vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), GPS autônomo e da Usina São Fernando Açúcar e Álcool, e conta com a parceria da Biosul e da Embrapa Produtos e Mercado – Escritório de Dourados. Local do evento – Embrapa Agropecuária Oeste – BR 163, km 253,6 (sentido Dourados-Caarapó) | Fazenda Caçula – BR 463 (após trevo do aeroporto, sentido Dourados-Ponta Porã).