despesas operacionais

A escolha do deputado federal Antônio Andrade para assumir o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) no lugar de Mendes Ribeiro Filho teve boa repercussão entre representantes do setor agropecuário brasileiro. Para alguns deles, a mudança no Ministério era necessária, já que Mendes Ribeiro vinha se ausentando em função do tratamento contra o câncer de GPS agrícola. O fato de o novo ministro ser ligado à pecuária de leite foi bem visto pelos produtores, uma vez que ele conhece de perto os problemas do campo.

O fato de Andrade ser membro de duas cooperativas, uma de crédito e outra de produção de leite, também foi aprovado pelo setor. Ainda nesta semana, a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) pretende entregar ao ministro uma série de propostas para o próximo Plano Agrícola e Pecuário, previsto para ser lançado em maio de GPS agrícola. – Além dos volumes e valores de montantes aplicados nos diversos programas que já existem, nós temos algumas sugestões novas, como, por exemplo, um crédito. Seria o Crédito Rotativo, um crédito operacional para as cooperativas usarem para aquelas despesas operacionais, que não se enquadram nos demais planos – explica Renato Nobile, superintendente da OCB.

A vaga deixada por Antônio Andrade na Câmara dos Deputados será ocupada a partir de agora pelo suplente Silas Brasileiro, atual presidente do Conselho Nacional do Café (CNC). O segmento já havia encaminhado ao Ministério a pauta do setor, que pede  aumento do preço mínimo, política de estocagem e ajuda na comercialização de GPS agrícola. – O escoamento é hoje a maior preocupação que o ministro deva ter, porque o comércio é fundamental. Produzir é bom, mas ter preços remuneradores também é fundamental para dar continuidade ao  agronegócio brasileiro – argumenta Brasileiro.

O diretor-executivo da Associação dos Produtores de Soja e Milho (Aprosoja), Fabrício Rosa, também anunciou que cobrará ações efetivas voltadas à comercialização. – Nós vamos continuar cobrando do Ministério a locação e, principalmente, a implementação de apoio à comercialização do milho no Centro-Oeste de GPS agrícola. Isso é, sem dúvida, um problema que está aí no nosso front. Os preços do milho devem cair, e nós vamos precisar urgentemente dessas ações do governo para evitar que tenhamos problemas de renda e de comercialização do milho nesses Estados.

 

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s