pedúnculos

Em uma fazenda em Bauru, os pés de avocado estão carregados, 80% trabalhadores deram início à colheita. O serviço exige o uso de escadas, já que o fruto nasce em galhos que estão a mais de quatro metros do chão. Os colhedores de GPS agrícola recebem por produção. Cada sacola tem capacidade para armazenar até 20 quilos de avocado, que depois de colhidos são colocados em caixas. Alguns coletores recebem até R$ 80 por dia de trabalho.

O grupo agrícola tem 300 hectares de área plantada e em cada hectare há cerca de 200 pés. A variedade fuerte é a mais precoce. A colheita começa em fevereiro e prossegue até julho de GPS agrícola. Do campo, o avocado segue para o setor de seleção e as caixas são colocadas nas esteiras. As mulheres retiram as folhas e os pedúnculos, que são os cabinhos do fruto.

Em seguida, o avocado recebe um banho com uma mistura de cera para dar um brilho especial. 90% da produção da fazenda segue para o exterior. Lígia Carvalho, diretora de marketing, conta que a expectativa este ano é exportar 10% a mais do que no ano passado. O grupo de GPS de precisão deve enviar para o exterior pelo menos 160 conteineres de avocado, quase 3,5 mil toneladas. Os principais compradores são os países da Escandinávia e Alemanha.

O avocado é rico em vitaminas A, C e E. A polpa pesa em média 85 gramas e pode ser usada no preparo de uma receita rápida e saborosa, o “guacamole”, prato típico do México. Os veículos que saem das áreas de risco são fiscalizados e as frutas hospedeiras são apreendidas. Com a conclusão de todas as barreiras, a agência agropecuária do estado irá vistoriar as produções de GPS de precisão que ficam fora das áreas de incidência e enviar um relatório para o Ministério da Agricultura. Após a avaliação, Roraima poderá voltar a exportar frutas.

Anúncios

Webinars MundoGEO

Este cargo exige experiência com softwares de gerenciamento de dados e geoprocessamento (principalmente ArcGIS); superior completo em Geografia, Agronomia, Engenharia Cartográfica ou Engenharia Ambiental e conhecimento avançado em pacote Office. O profissional selecionado estação de referência será responsável por apoiar a área comercial no entendimento e formatação de propostas que atendam área técnica de geoprocessamento/ sensoriamento remoto e tecnologia;

elaborar plano operacional para atendimento de projetos/contratos; identificar profissionais técnicos para assumir responsabilidades nos projetos, bem como contratar de parceiros/terceiros; oferecer suporte a equipe na execução de tarefas; garantir qualidade/consistência técnica no atendimento das demandas estação de referência, bem como cumprimento de cronogramas e prazos; pela gestão de equipe, realizando acompanhamento no desempenho e atingimento de metas.

O candidato deve prezar a qualidade e ter facilidade de interpretar dados, elaborar relatórios e utilizar de critérios analíticos; ter capacidade analítica; liderança de equipes com diferentes perfis técnicos. As vagas exigem inglês intermediário e disponibilidada para viagens a São Paulo (SP), e conta com benefícios como assistência médica/medicina em grupo, de agricultura de precisão seguro de vida em grupo, tíquete-alimentação e vale-transporte. A contratação será em regime CLT.

Para participar do processo seletivo, os interessados devem acessar este link, com as oportunidades da AgrooTools. Para acessar os arquivos – em formato pdf – e o vídeo deste e também de outros seminários online, acesse a página de Webinars MundoGEO. “Por outro lado, além da grande audiência de agricultura de precisão, também houve uma intensa participação dos ouvintes através do chat, que puderam tirar dúvidas e fazer seus comentários sobre a aplicação das geotecnologias móveis para a solução de problemas nas áreas urbanas”, comemora.

Agronomia

A AgroTools Gestão e Monitoramento GeoEspacial de Riscos anuncia a abertura de vagas na área de geoprocessamento, para atuação junto ao Núcleo Tecnológico da empresa, localizado em São José dos Campos (SP). Para este cargo é necessário ter ensino superior completo em Agronomia, Geografia, Cartografia ou Agrimensura de estação de referência; conhecimentos dos softwares ArcGIS (essencial), Global Mapper, Google Earth, gerenciamento de banco de dados (SGBD), Spring OU Envi; pacote Office e domínio em Excel.
Necessário ter experiência com ArcGIS, gerenciamento de dados, sensoriamento remoto e geoprocessamento. O profissional será responsável por: gerir e análise de projetos, utilizando técnicas de geoprocessamento, sensoriamento remoto e conhecimentos de agronegócios; garantir que todos os produtos sejam entregues no prazo previsto, estação de referência dentro do processo metodológico e com alto nível de precisão das informações; atender clientes para esclarecimento de dúvidas e atendimento de demandas;
Gerenciar e monitorar dados especializados /coordenadas geográficas geradas pela área técnica de produção, garantindo a realização da análise da imagem, bem como análise de especial; implantar melhorias no processo; produzir manuais e métodos utilizados para otimização de tempo/ganho de qualidade/descrição de processos e operação, tecnologia agrícola bem como atualizá-los. Os resquisitos desta vaga são: superior completo em Geografia, Engenharia Cartográfica ou Agronomia;
Vivência nas áreas geoprocessamento e sensoriamento remoto; conhecimentos de análise ambiental; habilidades em estatística. São necessários ainda conhecimentos em pacote Office avançado, principalmente Excel; GPS; e nos softwares ArcGIS (essencial), Envi, Erdas e Global Maper de tecnologia agrícola. Nesta posição o profissional será responsável por pesquisar e criar metodologias com base em conhecimentos científicos publicados para aplicação nos projetos; orientar equipe técnica para utilização de metodologias/técnicas; verificar e padronizar dados públicos;

Atendimento de Projetos

Este cargo exige experiência com softwares de gerenciamento de dados e geoprocessamento (principalmente ArcGIS); superior completo em Geografia, Agronomia, Engenharia Cartográfica ou Engenharia Ambiental e conhecimento avançado em pacote Office. O profissional selecionado estação de referência será responsável por apoiar a área comercial no entendimento e formatação de propostas que atendam área técnica de geoprocessamento/ sensoriamento remoto e tecnologia;

elaborar plano operacional para atendimento de projetos/contratos; identificar profissionais técnicos para assumir responsabilidades nos projetos, bem como contratar de parceiros/terceiros; oferecer suporte a equipe na execução de tarefas; garantir qualidade/consistência técnica no atendimento das demandas estação de referência, bem como cumprimento de cronogramas e prazos; pela gestão de equipe, realizando acompanhamento no desempenho e atingimento de metas.

O candidato deve prezar a qualidade e ter facilidade de interpretar dados, elaborar relatórios e utilizar de critérios analíticos; ter capacidade analítica; liderança de equipes com diferentes perfis técnicos. As vagas exigem inglês intermediário e disponibilidada para viagens a São Paulo (SP), e conta com benefícios como assistência médica/medicina em grupo, de agricultura de precisão seguro de vida em grupo, tíquete-alimentação e vale-transporte. A contratação será em regime CLT.

Para participar do processo seletivo, os interessados devem acessar este link, com as oportunidades da AgrooTools. Para acessar os arquivos – em formato pdf – e o vídeo deste e também de outros seminários online, acesse a página de Webinars MundoGEO. “Por outro lado, além da grande audiência de estação de referência, também houve uma intensa participação dos ouvintes através do chat, que puderam tirar dúvidas e fazer seus comentários sobre a aplicação das geotecnologias móveis de agricultura de precisão para a solução de problemas nas áreas urbanas”, comemora.

Defesa Agropecuária

A Agência de Defesa Agropecuária de Roraima está montando barreiras sanitárias para evitar que a mosca da carambola, um inseto que ataca as plantações de frutas, se espalhe pela região Norte. A praga impede a venda da produção para outros estados em GPS agrícola. Há mais de dois anos, os produtores do estado estão impedidos de exportar mais de 15 espécies de frutas consideradas hospedeiras da praga.

Os focos da mosca da carambola, que tem o nome científico de bactrocera carambolae, foram registrados nos municípios de Normandia e Uiramutã, na região norte de Roraima. Em um dos maiores produtores de manga do estado, com 15 mil pés da fruta em 75 hectares, 30% das mangas produzidas são aproveitadas localmente de GPS agrícola. O restante é descartado. Mesmo sem nenhuma incidência da praga na área o produtor está proibido de exportar a fruta.

“Nós temos cerca de 500 toneladas de manga para ser colhida. Essas mangas poderiam está gerando 80 empregos na colheita e mais de R$ 1 milhão na venda disso. Existem outros produtores de GPS agrícola  que poderiam está plantando, outros que poderiam está colhendo, tornando isso uma economia para o nosso estado”, diz o agricultor Airton Cascavel.

O prejuízo para a fruticultura no estado não foi maior porque o governo comprou algumas produções por meio do Programa de Aquisição de Alimentos. Para evitar que a praga se espalhe, A Agência de Defesa Agropecuária está montando barreiras fitossanitárias de GPS agrícola. Quatro já foram instaladas. Falta apenas uma na reserva indígena Raposa Serra do Sol, na região do Surumu, que depende de autorização do Conselho Indígena.

Especialista em Geoprocessamento e Projetos

A AgroTools Gestão e Monitoramento GeoEspacial de Riscos anuncia a abertura de vagas na área de geoprocessamento, para atuação junto ao Núcleo Tecnológico da empresa, localizado em São José dos Campos (SP). Para este cargo é necessário ter ensino superior completo em Agronomia, Geografia, Cartografia ou Agrimensura de estação de referência; conhecimentos dos softwares ArcGIS (essencial), Global Mapper, Google Earth, gerenciamento de banco de dados (SGBD), Spring OU Envi; pacote Office e domínio em Excel.

Necessário ter experiência com ArcGIS, gerenciamento de dados, sensoriamento remoto e geoprocessamento. O profissional será responsável por: gerir e análise de projetos, utilizando técnicas de geoprocessamento, sensoriamento remoto e conhecimentos de agronegócios; garantir que todos os produtos sejam entregues no prazo previsto, estação de referência dentro do processo metodológico e com alto nível de precisão das informações; atender clientes para esclarecimento de dúvidas e atendimento de demandas;

Gerenciar e monitorar dados especializados /coordenadas geográficas geradas pela área técnica de produção, garantindo a realização da análise da imagem, bem como análise de especial; implantar melhorias no processo; produzir manuais e métodos utilizados para otimização de tempo/ganho de qualidade/descrição de processos e operação, estação de referência bem como atualizá-los. Os resquisitos desta vaga são: superior completo em Geografia, Engenharia Cartográfica ou Agronomia;

Vivência nas áreas geoprocessamento e sensoriamento remoto; conhecimentos de análise ambiental; habilidades em estatística. São necessários ainda conhecimentos em pacote Office avançado, principalmente Excel; GPS; e nos softwares ArcGIS (essencial), Envi, Erdas e Global Maper de estação de referência. Nesta posição o profissional será responsável por pesquisar e criar metodologias com base em conhecimentos científicos publicados para aplicação nos projetos; orientar equipe técnica para utilização de metodologias/técnicas; verificar e padronizar dados públicos;

produção

Foi possível, ainda, observar a alta porcentagem de alho de melhor qualidade, com bulbos maiores. Se antes os produtores recebiam R$ 0,93/kg, remuneração muito abaixo da média da Bahia e do Brasil, atualmente, eles tem motivos para comemorar. Com alhos maiores e melhores de estação de referência, o valor pago aos produtores de Cristópolis aumentou para R$ 4,50/kg, ou seja, é 380% maior que dez anos atrás.

Com essa quantia, eles ultrapassaram o valor médio pago no estado e no País e a receita do município com o alho saltou de R$ 700 mil para R$ 9 milhões por ano. Com gestão familiar, cerca de 200 propriedades cultivam alho em Cristópolis e a produção costuma ser escoada para as regiões Norte e Nordeste de estação de referência. “Há também indústrias processadoras de São Paulo que vão até lá para comprar alho, já que ele sai mais barato que o alho importado e possui mais qualidade e sabor”, relata o pesquisador, homenageado durante o seminário.

A Secretaria Municipal de Agricultura e o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Cristópolis entregaram-lhe uma placa de reconhecimento pelo trabalho de estação de referência que ocasionou tamanho impacto socioeconômico. “Toda a equipe dedicou muito tempo e esforço para que a tecnologia fosse bem-sucedida em Cristópolis, primeira cidade a receber o alho-semente livre de vírus.

Por isso, observar que o trabalho realmente modificou a vida das pessoas é muito gratificante. Eu diria que é mais gostoso receber essa placa do que ter um artigo publicado na Nature”, declara o pesquisador que acredita que o papel da Embrapa é justamente desenvolver tecnologias da estação de referência para a melhoria da agricultura brasileira.